Setor de Bebidas: Demanda cresce mais rápido do que o esperado

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tweet
Compartilhar no linkedin
Publique
Compartilhar no whatsapp
Encaminhe
Compartilhar no email
Envie

Newsletter

Tire dúvidas sobre investimentos

Receba notícias pelo Telegram

A demanda por bebidas normalmente fica mais acelerada nessa época do ano, devido as festas de fim do ano e verão. Nesse ano, no entanto, foi necessário um reforço devido a pandemia.

As circunstâncias fizeram com que nomes do setor tivessem de importar garrafas da Argentina, com preço 20% mais caro; já que a demanda passou a crescer de forma mais rápida do que era antes esperado; fazendo com que o mercado brasileiro carecesse de garrafas disponíveis para serem compradas.

Segundo a União Brasileira de Vitivinicultura (Uvibra), as vendas de vinhos e espumantes crescem de 35% a 40%; mas poderiam crescer 50% se as vinícolas conseguissem garrafas para o envase. Isto vem então criando um movimento de compra de garrafas do país vizinho, mas este também é insuficiente.

Não existe um número oficial, mas estima-se que o déficit de garrafas de vidro no país esteja em torno de 400 mil toneladas por ano, o equivalente a 25% do mercado. De acordo com dados da Neogrid, que acompanha dados de 40 mil lojistas; em outubro, o nível de ruptura, ou falta de produtos no varejo, chegou a 11,16% na categoria de vinhos. Em cervejas, este foi ainda maior, atingindo 18,92%.

Impacto: Marginalmente Negativo. A demanda estar aumentando de forma acima do que era antes esperado é algo positivo, visto que o setor foi bastante impactado com a pandemia, e teve de sobreviver por meses apenas do consumo de cerveja em casa, que é muito inferior ao de bares e restaurantes. No entanto, como este crescimento não era previsto, o número de garrafas no mercado, que já diminui normalmente nesta época do ano, ficou ainda mais restrito, o que vem fazendo com que as empresas comprem garrafas da Argentina, onde são 20% mais caras.

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão.
Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso.
Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Leia também

Conheça o Painel Acionista: em um só lugar tudo o que você precisa saber sobre investimentos