Publicidade
Publicidade

De Pagador de Boletos a Investidor em 5 passos

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Guide

Será que a vida é mesmo somente pagar boletos? Muitas vezes parece que sim. As contas não param de chegar. Os preços aumentam a cada dia e já está difícil equilibrar tudo isso com os ganhos do mês.

Diante de todo esse cenário, como é possível sobrar dinheiro para começar a investir?

O grande problema está aí, sobrar dinheiro. Não devemos esperar o dinheiro sobrar para começar a investir.  O primeiro boleto do mês precisa ter o nosso nome, você deve buscar se pagar primeiro.

Você pode estar pensando nesse momento: “Falar (ou escrever) é fácil. Difícil é colocar em pratica.”

Publicidade




Sim e não, eu posso dizer. Existe um caminho a ser trilhado para deixar de ser apenas pagador de boletos e dar um passo à frente no mundo dos investimentos. Então, vamos juntos nessa trilha que está dividida em 5 etapas.

Mudando a forma de pensar

Pensar muito sobre dinheiro seria ótimo se isso nos ajudasse a tomar decisões melhores. Mas não é isso que acontece. A verdade é que tomar más decisões nessa área parece ser algo próprio da natureza humana.

Mas o que fazer então? Antes de mais nada, é preciso mudar nossa mentalidade, nosso comportamento mental em relação ao dinheiro e perceber como as emoções influenciam a nossa tomada de decisão.

“70% das decisões de compra são tomadas no ato, ou seja, dificilmente decidimos uma compra depois de irmos para casa e pensar mais sobre isso.” Fonte: Nielsen (‘’A hora certa de ativar o shopper’’)

Se conhecer não é um processo puramente racional. Autoconhecimento envolve reflexão e capacidade de lidar com as mais diferentes emoções. Quem não se conhece financeiramente acaba perdendo dinheiro.

Descobrindo onde quer chegar

Onde você está hoje? Qual a sua situação financeira atual? Endividada, com as dividas sob controle, ou já é um poupador?

E os seus sonhos e objetivos, já são claros para você? Já estão definidos na sua vida?

Se conhecer financeiramente é muito importante, além de trazer à memória os sonhos que estão adormecidos pelo fato de achar que não vai conseguir realiza-los.

Te convido a anotar os sonhos, metas e objetivos. Dê nome a cada a eles. Projete quando quer realiza-los e quanto custará cada um deles.

A pesquisa Raio X do Investidor, da ANBIMA, realizada entre os anos de 2017 e 2020 evidenciaram os principais objetivos dos investidores neste período:

  • Ter dinheiro guardado para emergências ou por segurança;
  • Comprar um imóvel, casa própria, terreno, quitar ou pagar parcelas da casa;
  • Usar na sua velhice ou aposentadoria;
  • Fazer uma viagem ou passeios;
  • Comprar carro, moto ou caminhão;
  • Investir em negócio próprio, reformar empresa ou comprar mercadorias;
  • Educação — estudar, fazer cursos, pagar estudos de outra pessoa, como filhos ou netos;
  • Construir ou reformar casa;
  • Deixar para os filhos, pensando em seu futuro;
  • Pagar contas e dívidas.

Os sonhos são nossos agentes motivadores, são eles que nos fazem levantar todos os dias com disposição de ir à luta.

Cortando gastos desnecessários

Cortar gastos deve ser rotina na nossa vida financeira. Sempre há oportunidade de reduzir despesas e economizar, basta mudar o olhar.

A alternativa é repensar o estilo de vida, criar uma forma de controlar receitas e despesas, cortar gastos, refinanciar dívidas bancárias de longo prazo.  Uma oportunidade de reavaliar as necessidades do dia-a-dia sempre com o foco em poupar mais e investir melhor.

Se pagando primeiro

Não é fácil reservar parte da nossa renda hoje para objetivos futuros. As necessidades imediatas são inúmeras, e as vontades, que proporcionam prazer imediato são tentadoras.

Muita gente não poupa, alega que não “sobra” dinheiro. E não sobra dinheiro porque, provavelmente, privilegiam o presente, o prazer imediato, em detrimento do futuro.

Antes de investir, é importante entender por que os recursos estão sendo poupados. Que objetivo esperamos atingir, em que tempo. Abrir mão do prazer imediato de consumir não é fácil se não tivermos objetivos firmes e definidos, sem os quais poupar pode deixar de fazer sentido.

Por isso, é preciso estabelecer metas que possam ser cumpridas, dentro da sua realidade e da sua família, seja em relação ao montante a ser poupado mensalmente, seja quanto ao tempo em que a meta será atingida.

Exercitando a disciplina

Você já deu o primeiro passo de se pagar primeiro, agora precisa exercitar a disciplina e fazer desse ato um hábito.

Procure conhecer seu perfil de investidor e busque pelo investimento ideal para o seu momento de vida. Pensar na construção da reserva financeira é essencial e deve ser o primeiro passo dado na formação da carteira de investimentos.

Por que investir em Educação Financeira?

Pessoas com conhecimento sobre Educação Financeira conseguem montar um orçamento, lidar com as despesas e os gastos do dia a dia gastando menos do que ganha, economizar e investir recursos e, mais importante, tirar do papel sonhos como uma viagem ou casa própria e até mesmo ter uma aposentadoria financeiramente saudável. Sem falar ainda, num novo modelo mental em relação ao uso do dinheiro que deve ser desenvolvido ao longo da vida.

Até Breve!

Juliana Barbosa

Juliana Barbosa

Juliana Barbosa é Economista e Educadora Financeira. Especialista em Finanças Empresariais, Gestão Bancária e Gestão Empresarial. Membro da ABEFIN – Associação Brasileira de Educadores Financeiros. Sócia-Diretora da Cifrão Educação Financeira. Franqueada Dsop de Educação Financeira.Instagram |Podcast

Você pode se interessar por

Publicidade

Leia também

Acionista consome. Acionista investe.

Você consome das
empresas em que investe?

Receba notícias pelo Telegram

Publicidade

Publicidade

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão. Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso. Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Publicidade

Esse site usa cookies para personalizar o conteúdo, propagandas e acompanhar o tráfego de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade.