TRAN PAULIST (TRPL4) – Resultado do 2T20 acima do esperado

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tweet
Compartilhar no linkedin
Publique
Compartilhar no whatsapp
Encaminhe
Compartilhar no email
Envie

Newsletter

Receba notícias por Whatsapp

Receba notícias pelo Telegram

A Cteep registrou no 2T20 um lucro líquido ajustado de R$ 412 milhões, com crescimento de 74% em relação aos R$ 236 milhões de igual trimestre do ano anterior, acumulando um lucro líquido ajustado de R$ 720 milhões (+54%) no 1S20, explicado pela estabilidade de receita e principalmente a melhora do resultado operacional.

Cotada a R$ 21,76/ação (valor de mercado de R$ 14,3 bilhões) a ação TRPL4 registra queda de 1,8% este ano. O preço justo de mercado de R$ 23,00/ação traz um potencial de alta de 5,7%.

Destaques

No 2T20, a receita operacional bruta consolidada somou R$ 1,7 bilhão, acumulando no 1S20 uma receita bruta de R$ 2,6 bilhões. Este forte crescimento pode ser explicado principalmente (i) pela Parcela de Ajuste (PA) referente à aplicação da Revisão Tarifária Periódica (RTP) do contrato renovado (059); e (ii) da remuneração do componente financeiro da RBSE pelo custo do capital próprio (“Ke”), no valor de R$ 894 milhões, que será recebida até junho de 2023.

A receita operacional bruta sem esse componente teria totalizado R$ 806 milhões no 2T20, estável em relação ao 2T19 e com crescimento de 2,7% no 1S20 para R$ 1,7 bilhão.

O EBITDA ajustado totalizou R$ 687,3 milhões no 2T20, com aumento de 14,7% ante o 2T19, alcançando R$ 1,4 bilhão no 1S20; o EBITDA Ajustado, com crescimento de 12,1% comparado ao 1S19, explicado principalmente, pelos menores custos e despesas operacionais.

A parcela de ajuste (RTP e RBSE) foi provisionada no 2T20, mas será recebida nos próximos 3 anos, de julho de 2020 a junho de 2023.

Ao final do 2T20 a dívida líquida da companhia era de R$ 2,6 bilhões; equivalente a 1,0x o EBITDA ajustado, e se compara a R$ 2,5 bilhões de dezembro de 2019.

O custo médio da dívida consolidada era de 5,1% em jun/20 abaixo de 7,4% em dez/19 em função da queda do IPCA entre os períodos. O IPCA é o principal indexador de endividamento da companhia e o principal indexador da receita. O prazo médio da dívida consolidada em 30 de junho de 2020 era de 3,1 anos.

Os investimentos consolidados da companhia somaram R$ 283 milhões no 2T20 e de R$ 561 milhões no 1S20.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Publicidade

Leia também

Destaques da bolsa ativos durante o pregão - das 10h as 17h - Fonte: Google Finance - delay aprox. de 20 min.

*Dados inativos fora do horário do pregão.