Como Começar

Entenda e Aprenda

Muitos podem pensar que para investir é preciso de muito dinheiro, isso não é verdade. Fique tranquilo que nas próximas linhas vamos mostrar como é simples e possível começar a investir. Independentemente da quantidade de dinheiro que você têm, basta ter consciência sobre algumas questões e organizar-se quanto à alguns objetivos.

Sabemos que a situação econômica e a vida da maioria das pessoas é difícil. Portanto, começar a investir cedo com disciplina e planejamento fará você colher muitos frutos lá na frente, capaz de melhorar a sua qualidade de vida e até alcançar sonhos.

Primeiramente, considere estes dois pontos:

  • Sua principal preocupação hoje é acumular patrimônio (ganhar mais)?
  • Seu objetivo atual é proteger o patrimônio que você já acumulou, cuidando de tudo que você conquistou com esforço e trabalho?

Entenda que não há o melhor investimento e sim a opção adequada que atenda às suas necessidades e expectativas do momento. O importante é definir um objetivo que atenda a sua capacidade financeira. Junto a isso, escolher um investimento que esteja em linha quanto a rentabilidade necessária para chegar ao objetivo. Portanto há várias formas de investir o seu dinheiro: aplicando em títulos de renda fixa, comprando um imóvel ou em ações por exemplo.

Se sua meta é acumular patrimônio você terá que buscar por aplicações mais arrojadas, que tenham potencial de crescimento lá na frente. Consequentemente elevando o grau de risco no investimento.

Mas se seu objetivo é cuidar do seu dinheiro já conquistado o ideal é que se aplique em investimentos mais conservadores. Considerando que sempre fique uma taxa acima da inflação. Desta forma você garante que seu dinheiro não perca poder de compra ao longo do tempo.

Escolher o investimento certo depende também do seu perfil de investidor. Ou seja, da sua tolerância ao risco de perda de dinheiro. Ninguém quer perder, isso é um fato!

Mas é importante saber que há várias modalidades que possuem diferentes tipos de remuneração que vão em linha à exposição de risco. Isto é, quanto mais risco mais chance de ganhar mais (ou perder) e quanto menos risco mais seguro estará o dinheiro aplicado e menor a chance de ter alta rentabilidade.

O ideal na hora de investir é você ter consciência da sua disposição financeira. Além do fator psicológico diante da tolerância ao risco. A capacidade financeira é ter conhecimento de suas contas e necessidades.

Acompanhe e se mantenha atualizado

Após traçar metas e encontrar espaço na sua conta para garantir todo mês uma quantia para aplicações é importante que você acompanhe as notícias. Assim você se manterá atualizado e por dentro das oportunidades do melhor investimento do momento.

Assim como na vida, o mundo dos investimentos está em constante evolução. Portanto manter-se bem informado é importante para que você aproveite as melhores chances de ganhar dinheiro.

Poupar e Investir

Para que e porquê

Toda e qualquer parcela que você não usou de sua renda, pode ser considerada uma poupança.

Independente da quantidade poupada ou o quanto você já tem guardado, este dinheiro disponível pode ser usado com diferentes objetivos:

  • Segurança: olhando para o futuro, garantindo a reserva de recursos ou para uma despesa imprevista;
  • Rentabilidade: boa remuneração;
  • Valorização: objetivo de ver o dinheiro investido crescer;
  • Desenvolvimento Econômico: visão de investir em grandes oportunidades (empreendimentos, associações, etc);
  • Liquidez: rápida disponibilidade do dinheiro aplicado.

Por que investir?

Entendemos que garantir uma tranquilidade financeira advinda do ato de poupar e investir adequadamente permite que você possa realizar sonhos.

Todo investidor busca otimizar três aspectos ao realizar um investimento: retorno, prazo e proteção. E o investimento adequado ocorre quando há avaliação de rentabilidade estimada, liquidez (disponibilidade do dinheiro investido) e avaliação do nível de risco que você esta disposto a correr.

Sim, todos investimentos tem riscos. E a rentabilidade do seu investimento estará atrelado ao tamanho do risco que você esta disposto a correr; ou seja, quanto maior o risco maior a chance de ter lucros maiores (e de perder o que foi investido também). E, sob visão inversa seria, quando menor o risco, menor a lucratividade e menor a chance de você perder o seu dinheiro; não é tão legal certo? Mas garantir uma rentabilidade por menor que ela seja pode ser muito mais que muitos investimentos de risco que levam pessoas a falência, pense nisso antes de investir e não corra riscos desnecessários.

Então nossa melhor dica para você que deseja começar a investir é: tenha um plano e atue consciente. Faça estes seguintes questionamentos:

Que tipo de renda eu desejo? Variável ou Fixa

Qual o tempo do meu investimento? Variável ou Fixo

Investidores analisando gráficos

Agora falando sobre alguns ativos negociados no mercados financeiro e com distintas características.

Quando falarmos de títulos, você provavelmente encontrará:

  • Renda Fixa ou Variável;
  • Prazo Fixo ou Variável;
  • Emissão Particular ou Pública.

RENDA

Fixa: quando você já sabe previamente as formas de rendimento do título. Podendo ocorrer de forma prefixado ou pós-fixados.

Variável: dependerá dos resultados, no qual fará você ganhar mais ou menos dependendo de onde você investir e do cenário em que se encontra o investimento que você escolheu.

PRAZO

Fixo: você já sabe a data de vencimento ou de resgate, é a data que você receberá o seu dinheiro já acrescido do lucro que teve seu investimento.

Variável: como já diz o nome, são indeterminados, não possuem data definida para resgate ou vencimento então você pode converte-los em dinheiro a qualquer momento.

EMISSÃO

Quando falamos “com quem você quer investir? Títulos públicos ou particulares?”.

Públicos: envolvem o governo, federal, estadual ou municipal; eles emitem títulos com o objetivo de proporcionar cobertura de déficit orçamentários, financiamentos de investimentos públicos e a execução da política monetária.

Particulares: são os títulos emitidos por empresas S/A ou pelas instituições financeiras autorizadas pelas CVM ou Banco Central.

Onde Investir

Veja como

Todos os dias lemos ou ouvimos algo sobre rendimentos em alta ou em baixa de poupança, bolsa de valores (Ibovespa), dólar, Tesouro Direto, CDB e muito mais.

Supondo que você deseje fazer uma reserva financeira seja para comprar um carro, viagem, apartamento ou aposentadoria. A pergunta que fica é por onde devo começar?

Há várias opções e não precisa de muito dinheiro para começar a investir. Primeiro você precisa saber em que fase da vida financeira você está, assim será possível estruturar sua carteira de investimento de acordo com suas necessidades. Curto, médio ou longo prazo além de saber que tipo de investidor você é. Em nossa página Perfil do Investidor você encontra as caracterísitca de cada perfil para ajuda-lo a montar a sua estratégia de investimento.

Por onde investir?

Muitos neste caso responderiam “no banco”. Esta é uma opção , o banco oferece diversas alternativas de investimentos porém restringe aos seus próprios produtos, outra opção são as plataformas de investimentos disponibilizadas por corretoras e bancos de investimentos que visão distribuir diversas opções atreladas ao mercado de ações, bancos comerciais, investimentos, gestoras de recursos e etc.

[B]³ – Brasil, Bolsa, Balcão

Perguntas e respostas sobre a Bolsa de Valores:

Quem pode investir?

Qualquer pessoa física ou jurídica que tenha reservas disponíveis para investimento e que tenha o cadastro aprovado na instituição credenciada escolhida.

Qual o procedimento para se aplicar na Bolsa? Quanto investir e quais as taxas e impostos?

O procedimento inicial é a escolha de uma instituição financeira (Corretora). O valor a ser investido será determinado por você, não há mínimo, contudo é importante observar os valores das taxas cobradas pela instituição escolhida, para que você, no mínimo, mantenha o valor investido, depois da cobrança das taxas. O ideal é que a conta lhe permita ter lucro.

São cobradas taxas de corretagem e taxa de custódia variáveis conforme a Corretora escolhida. Não existe custo de cadastramento e aprovação.

A aplicação em renda variável é tributada (Imposto de Renda) com uma alíquota de 15% sobre o ganho de capital, isto é, paga-se sobre a diferença entre o valor da compra e o da venda, ( nas operações de Day Trade, a alíquota aplicada é de 20%). Seu dinheiro fica depositado na instituição financeira escolhida e é ela a responsável pelo seu dinheiro. Os ganhos líquidos obtidos por pessoa física em operações no mercado à vista de ações negociadas em Bolsas de Valores e em operações com outro ativo financeiro, cujo valor das vendas seja menor ou igual a R$ 20 mil por mês estão isentos do Imposto de Renda.

Quem decide em quais ações investir?

Você decide no que investir. Para tomar esta decisão você pode solicitar informações, diagnóstico do mercado e dos produtos disponíveis, consultar e pedir orientação do especialista disponível na instituição ou com o distribuidor autorizado, preferencialmente um agente autônomo de investimentos ou um analista, que são as pessoas habilitadas para tal.

Qual a probabilidade de eu ter prejuízos?

Dependerá do produto financeiro escolhido. O profissional que lhe atenderá tem condições de alertá-lo quanto aos níveis de risco das opções em estudo.

Se a Corretora intermediária falir como ficam minhas ações?

Suas ações estarão depositadas pela instituição escolhida na CBLC em seu nome e, portanto caso a instituição escolhida tenha problemas, sua posição será transferida para outra instituição responsável, ou seja, você não corre risco algum de perder seus investimentos em ações.

Como optar por outra Corretora?

Você deve analisar, acessando os respectivos sites ou entrando em contato direto, o que está sendo oferecido ao cliente em termos de materiais informativos, cobrança de taxas e atendimento.

Corretoras e Agentes Credenciados: conheça a Corretora ou agente habilitado a cuidar de seus investimentos

  • Segurança: a segurança está na instituição financeira escolhida. Seus recursos sempre irão para uma conta bancária (conta investimento) em seu nome nesta instituição e retornarão para sua conta habitual quando desejar. A tranferência dos recursos sempre deverá ter sua autorização;
  • Escolha do Operador: você terá sempre um operador para consulta no horário do mercado, tanto na instituição quanto no distribuidor, normalmente habilitado para o exercício desta função. O contato pode ser feito por telefone ou e-mail;
  • Escolha da Corretora: a escolha é sua, eventuais opções oferecidas no Acionista.com.br são de anunciantes e não são indicações;
  • Órgãos Reguladores: CVM/Banco Central do Brasil;
  • Aprenda como Investir: tire suas dúvidas de como se deve investir e como funciona o Mercado Financeiro.