Publicidade
Publicidade

Com produto mais barato, Piccadilly ensaia retomada

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Depois de ver o faturamento despencar em 2020, de fechar uma de suas plantas no Rio Grande do Sul e demitir centenas de funcionários, a calçadista Piccadilly decidiu apostar na melhora da produtividade, com aumento da automação da fábrica, e em produtos mais relacionados à nova realidade do consumidor para se recuperar. Em tempos de covid-19, com mais gente em home office, saiu o salto fino e entrou um sapato mais casual, com preço mais competitivo.

Piccadilly

“Entendemos que havia uma mudança significativa no comportamento do consumidor e decidimos criar produtos para esse momento. O mercado respondeu muito rápido”, disse a presidente da empresa, Cristine Camila Grings Nogueira.

 

Das dez linhas mais vendidas pela Piccadilly, cinco são da coleção atual. Naquele momento de lançamento da coleção, as vendas subiram 525%.

 

Segundo a executiva, o diferencial foi combinar calçados mais confortáveis com preços atraentes. Para chegar a essa equação sem comprometer a qualidade do produto, a solução foi trazer os calçados para o meio e a base da pirâmide. Cristine explica que o desafio era como agregar valor sem agregar custo, uma vez que os insumos estão em alta e a renda do consumidor, em queda.

 

“De qualquer forma, a resposta foi positiva. Hoje, em termos de faturamento, estamos nos aproximando dos níveis de 2019, antes da pandemia.” A expectativa é que a empresa, que tem 7 mil pontos de vendas no Brasil e no exterior, feche o ano com crescimento de 35% em relação a 2020 e receitas de R$ 275 milhões. Desse montante, R$ 175 milhões referente ao segundo semestre.

 

RESTRIÇÕES. O setor calçadista sofreu bastante em 2020 com as restrições de circulação das pessoas nas cidades, fechamento do comércio e trabalho remoto. A produção de calçados caiu 18,4% no ano passado, retornando a patamares de 15 anos atrás. As exportações tiveram o pior resultado em quase quatro décadas.

 

Nesse cenário, diz Cristine, foi necessário rever várias estratégias comerciais e operacionais. Na avaliação do sócio-diretor da Gouvêa Consulting, Jean Paul Rebetez, a pandemia fez as empresas se reinventarem e focarem na eficiência operacional. “Tudo isso para preservar o caixa que ainda restava.” Segundo ele, praticamente tudo precisou ser revisto, seja porque a população empobreceu seja porque o mercado exigiu mudanças rápidas, como a digitalização. “As empresas tiveram de correr atrás (para se manter de pé).”

 

No caso da Piccadilly, Cristine diz que a recuperação só veio com um conjunto de medidas. Uma delas foi a adoção de uma gestão mais focada em indicadores para tornar a companhia mais eficiente. Ao mesmo tempo a Piccadilly tem trabalhado com programas de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) para a criação de novos produtos de forma mais econômica e diferente. A digitalização também foi fortalecida na empresa. A executiva diz que, desde 2019, a transformação digital virou um tema estratégico e permanente nos objetivos da empresa. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.


Encontre o que você precisa

Personalize da forma que achar melhor e tenha o seu acesso conforme a sua preferência:

Em pouco cliques, customize quais assuntos você quer que apareçam na sua home.

Publicidade

Os ativos mais recomendados e vantajosos no mercado imobiliário

Salve conteúdos para ler quando quiser e não perca nenhuma atualização.

Publicidade


Tudo isso pelo Meu Feed, no Clube Acionista.

Publicidade

Insights para alavancar seus ganhos como acionista das cias

A transparência para as suas decisões de investimentos.

Encontre relatórios de instituições concorrentes, compare entre as sugestões e deixe de ter que se cadastrar em cada canto da internet para receber suas notificações preferidas.

Conheça o Clube Acionista, a plataforma que reúne diversos especialistas do mercado em um só lugar. A facilidade de não precisar sair procurando por boa informação em diferentes canais.

APROVEITE!

Estadão Conteúdo

Estadão Conteúdo

"O Estado de S. Paulo" é o mais antigo dos jornais da cidade de São Paulo ainda em circulação . Em 4 de janeiro de 1875, ainda durante o Império, circulava pela primeira vez "A Província de S. Paulo" - seu nome original.

Você pode se interessar por

Publicidade

Leia também

Acionista consome. Acionista investe.

Consumir da empresa que você é
Acionista auxilia nos seus rendimentos?

Receba notícias pelo Telegram

Publicidade

Publicidade
Publicidade

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão. Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso. Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Publicidade

Parabéns!
Cupom de Desconto Descoberto!

Cupom: BEMVINDO10

Participe do Telegram Acionista!

Receba informações do mercado financeiro gratuitamente.

Não vá embora ainda!

Conheça nosso Clube exclusivo e gratuito

Esse site usa cookies para personalizar o conteúdo, propagandas e acompanhar o tráfego de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade.