OI (OIBR3): Cade avalia imposição de restrições a venda de ativos móveis da empresa

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tweet
Compartilhar no linkedin
Publique
Compartilhar no whatsapp
Encaminhe
Compartilhar no email
Envie

Newsletter

Tire dúvidas sobre investimentos

Receba notícias pelo Telegram

Oi

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) avalia a impor restrições para aprovar a compra das operações de telefonia móvel da Oi pelas concorrentes, segundo fontes do jornal Valor Econômico.

O processo de venda dos ativos é visto como complexo porque tiraria do mercado a quarta maior operadora de telefonia móvel do país; ao mesmo tempo que ampliaria ainda mais a participação da Tim, Claro e Vivo.

Desse modo, as barreira de entrada para alguma outra empresa que possa fomentar a concorrência ficaria ainda mais alta, já que as telecomunicações são um setor regulado, acrescentaram.

Impacto: Negativo. A Oi vendeu seus ativos móveis as teles por R$16,5 milhões. A transação melhoraria sua saúde financeira, o que poderia inclusive a ajudar em seu processo de recuperação judicial. No entanto, alguns acreditam que o movimento tornaria a competição no mercado de telefonia móvel desleal; à medida que aumentaria ainda mais as barreiras de entrada para novos entrantes.

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão.
Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso.
Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Leia também

Conheça o Painel Acionista: em um só lugar tudo o que você precisa saber sobre investimentos