C6 Bank levanta R$ 1,3 bi em captação

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tweet
Compartilhar no linkedin
Publique
Compartilhar no whatsapp
Encaminhe
Compartilhar no email
Envie

Newsletter

Tire dúvidas sobre investimentos

Receba notícias pelo Telegram

Lançado há cerca de um ano e meio, o C6 Bank, fundado por ex-executivos do BTG Pactual, acaba de levantar R$ 1,3 bilhão em sua nova rodada de investimento, com 40 investidores privados. Com a forte injeção de recursos no caixa, o banco digital quer dar mais ritmo à trajetória de expansão e fortalecer sua plataforma de investimento, em um momento em que o número de investidores no Brasil vem crescendo rapidamente por conta do ambiente de juros baixíssimos.

No horizonte de 12 meses, se o crescimento seguir a passos largos, o banco poderá encerrar 2021 com o capital aberto, ou no Brasil, ou nos Estados Unidos – destino, muitas vezes, de empresas ligadas à tecnologia.

Com o novo aporte, que será realizado por meio da emissão de ações ordinárias, o C6 Bank passou a ser avaliado em R$ 11,3 bilhões. O banco Inter, que é o único banco digital listado na B3 hoje, tem um valor de mercado de R$ 19 bilhões. O Credit Suisse atuou como assessor financeiro da operação e foi um dos 40 investidores, apurou o Estadão. O restante do capital veio de investidores pessoas físicas e famílias brasileiras.

“Isso nos abre o caminho para continuar crescendo. O aporte será para suportar nossas operações e investimentos que fazemos para a atração dos clientes, novos produtos, outras áreas inerentes ao banco e a plataforma de investimento”, afirma o presidente do C6 Bank, Marcelo Kalim. O investimento ocorre em um momento de grande competição no setor financeiro, com os bancos tradicionais sendo desafiados pelas fintechs e bancos digitais, como o C6.

O executivo, que saiu do BTG Pactual para fundar o C6, comenta que o próximo passo para dar mais robustez ao banco, na frente de investimentos, será dar acesso aos clientes a produtos de investimento diretamente no exterior. Em janeiro, serão acoplados alguns fundos internacionais, mas a ideia é permitir ao cliente a compra também de ações diretamente de Bolsas estrangeiras, o que deve ocorrer até o fim do primeiro semestre. O C6 já possui a conta global, com saldo em dólar.

Desempenho. A instituição financeira fechou 2019 com um milhão de contas abertas, número que já subiu para 4 milhões. Para 2021, o objetivo é ao menos manter esse ritmo, mas Kalim não abre a meta interna de crescimento.

O aporte de R$ 1,3 bilhão fechado com um grupo de investidores foi o segundo que o C6 fez com novos investidores, ou seja, fora do grupo dos fundadores. O primeiro foi no valor de R$ 525 milhões e concluído em julho.

“Quando precisarmos de mais capital a alternativa lógica será a abertura de capital. Se a janela estiver aberta como está agora, olhar para 12 meses é um bom horizonte”, afirma Kalim.

Além das quatro milhões de contas abertas, o banco tem cerca de R$ 5,3 bilhões em ativos totais. Já a carteira de crédito, somando pessoas físicas e jurídicas, ultrapassa os R$ 4 bilhões.

O volume transacionado na sua plataforma de pagamentos, o que inclui serviços de adquirência (captura de transações de pagamento) e outras soluções de pagamento para varejistas, atinge R$ 1,5 bilhão por mês.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão.
Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso.
Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Leia também

Conheça o Painel Acionista: em um só lugar tudo o que você precisa saber sobre investimentos