Brumadinho, R$ 37 BI pagam a dor?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

O governo de Minas e a Vale assinaram acordo com vistas a reparar os danos socioeconômicos, socioambientais e morais, no valor de R$ 37,7 bilhões. Este é um acordo bilionário, que permitirá ao Executivo local investir pesado em infraestrutura, como construção do rodoanel na Grande BH, reformar escolas, construir hospitais, adquirir aeronaves e outros equipamentos para a PM e o Corpo de Bombeiros de MG, além da criação de um Fundo de R$ 1 BI para microempreendedores. Estima-se que o imput vá gerar 360 mil empregos. Se bem aplicado, o dinheiro dará uma cara nova – literalmente isto! –, para um dos maiores estados (em tamanho e desenvolvimento econômico) do país.

Lembrando que este acordo, homologado dia 4 último, põe fim ao litígio entre o governo do estado e a companhia, mas outros processos individuais continuam tramitando na Justiça. Por alguma metodologia técnica se calcularam os prejuízos físicos de um dos maiores acidentes da história da mineração brasileira e mundial, ocorrido em 25 de janeiro de 2019. Deste já se passaram dois anos e o de Mariana outros cinco, estarrecendo a todos. O estado, que não tem à toa o nome de Minas Gerais, foi vitimado por duas catástrofes e recebe a indenização também a título de compensação ambiental e danos morais.

De forma simplória, vem a pergunta: será possível se quantificar o tamanho real do estrago ambiental, em todos os ecossistemas atingidos, e o tempo de reparação para que esteja minimamente semelhante ao que era antes? Mais que isso, como quantificar o prejuízo moral das famílias dos 252 mortos? Como dormem as pessoas próximas daqueles 11 desaparecidos até hoje em Brumadinho? Afinal, que régua é usada para se medir a dor?     

MINÉRIOS

Apontando queda de 0,5% na produção, a Vale reportou extração de 84,5 milhões de toneladas no 4TRIM de 2020. Apesar do bom resultado no período (+7,9% comparado com mesmo trimestre de 2019), no ano a venda do minério de ferro caiu 5,4%.

CAPITAL

A Rumo, empresa de logística do Grupo Cosan, aprovou aumento de capital no valor de R$ 1,2 BI. Para tanto, serão emitidas 1.311.004.382.429 de novas ações, sendo pouco mais de um terço destas em ordinárias e as demais preferenciais.

PALMAS

O Senado recebeu “felicitações” da Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel) pela aprovação da MP 998. A entidade vê como positiva a Medida Provisória, trazendo “aprimoramentos para o setor elétrico”. Os subsídios custeados pelos consumidores podem estar com os dias contados.

BR

Inaugurando uma nova fase corporativa, a BR Distribuidora anuncia a aquisição do controle do Grupo Targus Energia. Com isso, a BR entra na comercialização de energia elétrica, com serviços relacionados ao mercado livre de energia (ACL).

A companhia terá até o dia 31 de dezembro para os necessários aportes, detendo 70% das ações da Targus com opção de compra dos outros 30% remanescentes.

NA MODA

Cresce o uso de energia solar no país. Minas lidera o ranking dos estados brasileiros, com maior potência instalada. De acordo com a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica, pelas terras de JK e Carlos Drummond existem 862,9 megawatts (MW) produzidos, atendendo residências, casas de comércio, indústrias e propriedades rurais.   

Já são 840 municípios (98,5% do território) com 74.500 dessas conexões operacionais. Assim, muitos consumidores já podem dizer que colaboram, decisivamente, no processo de minimizar as mudanças climáticas.  

RISCOS

A propósito de riscos climáticos, a Associação Brasileira das Companhias Abertas (Abrasca) promoverá no próximo dia 11 uma live com Gustavo Souza (gerente) e Lauro Marins (diretor) do CDP Latin America para debater o tema.

Proposta é do Grupo de Trabalho ESG, recém-criado, orientando as companhias a mapear e reportar o risco de forma efetiva no Formulário de Referência.

COP 26

Na véspera da conversa com as companhias abertas, dia 10, o CDP fará webinar intitulada “Caminho para Glasgow, ambição ambiental e papel da América Latina para a COP 26”.

VP do Pacto Global no Brasil, dos Conselhos da GRI e do CDP, a jornalista Sonia Favaretto fará a abertura. São convidados no evento virtual Rodrigo Perpétuo (ICLEI), Viridiana Hernández (Walmart México), Andréia Coutinho (jornalista) e Francisco Suarez (ESG-LatAm).

PRECIFICAÇÂO

A Sumitomo Chemical, em parceria com a Aliança pela Floresta Tropical (TFA, em inglês), iniciará o Programa de Serviços Ambientais Soja Brasil. Trata-se de projeto piloto para testar precificação para o pagamento de Serviços Ambientais em área de cultivo da oleaginosa. A TFA é uma plataforma do Fórum Econômico Mundial, voltada para o meio ambiente.

“O PSA Soja Brasil foi idealizado para apoiar o setor da sojicultura a melhorar sua performance ambiental, reduzindo a pegada de carbono e a pressão pelo desmatamento, através da valoração das áreas de floresta em pé a partir da venda de serviços ambientais”, destaca Fabíola Zerbini, diretora da plataforma para a América Latina.

“Conservar água, biodiversidade e clima pode ser um ato recompensador àqueles que se empenham pela sua manutenção, e muitos produtores rurais já fazem isso. Queremos mostrar que o agronegócio brasileiro, além de competitivo, é também sustentável”, comentou Marcelo Habe, diretor de Marketing da Sumitomo no Brasil.

CRÉDITO

O volume de crédito rural disponibilizado pela Caixa Econômica Federal neste ano cresceu 20% sobre 2019, totalizando R$ 6,5 BI.

Entre as modalidades incentivadas pelas linhas de crédito estão o financiamento da safra 2021/22 (com destaque para milho, soja, algodão, feijão, arroz, mandioca e café) e os empréstimos Pronaf e Pronamp, para investimentos no campo.

CONSTRUÇÃO

A Comissão de Organização do 22º Encontro Internacional de RI e Mercado de Capitais resolveu construir o programa do evento, tijolo por tijolo num desenho lógico.

O evento, que acontecerá no final de junho, recebe sugestões de temas por parte dos stakeholders ora consultados em pesquisa. Previsto com atividades presenciais, acontecerá em São Paulo e tem apoio de divulgação do Portal Acionista.

ANTICORRUPÇÃO

Desde o dia 1º o Instituto Não Aceito Corrupção (INAC), criado em 2015 pelo promotor de Justiça Roberto Livianu, ganhou um reforço de peso. Trata-se do economista Marco Antonio Panza, novo superintendente executivo.

Pós-graduado em Mercado de Capitais, Panza já foi premiado como Melhor Profissional de RI pela Abamec-SP (atual Apimec), foi diretor do IBRI e da Apimec, entre outros.

Saiba mais sobre o instituto pelo link https://naoaceitocorrupcao.org.br/

EMBAIXADORES

No próximo 28 de março serão empossados, virtualmente, os novos “Embaixadores do Turismo do RJ”. Iniciativa da Fundação Cesgranrio e portal Bayard Boiteux, objetivo é homenagear pessoas que enaltecem o Rio de Janeiro, em seu dia a dia, na cultura, música, esportes, gastronomia, jornalismo e turismo.

Em 2021 receberão o título, entre outros, a médica e pesquisadora Margareth Dalcomo e a jornalista Sonia Araripe, editora de Plurale

e parceira do Portal Acionista.

Se inscreva para ser notificado quando um novo post for publicado.

Além de diversos conteúdos do mercado financeiro em um lugar para você ler, comparar e decidir.

Nelson Tucci

Nelson Tucci

Repórter em veículos como Folha de S.Paulo e O Estado de S.Paulo, atuou também como apresentador do programa ECO Negócios, na ECO TV. É MBA em Comunicação e Relações com Investidores e diretor na Virtual Comunicação.

Você pode se interessar por

Publicidade

Receba notícias pelo Telegram

Leia também

Tire dúvidas sobre investimentos

Últimas atualizações sobre

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão.
Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso.
Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Fique por dentro

Se inscreva para ser notificado quando um novo post for publicado.

Além de diversos conteúdos do mercado financeiro em um lugar para você ler, comparar e decidir.

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade e, ao continuar navegando neste site, você declara estar ciente dessas condições.