Bolsonaro: economia formal se recupera enquanto informalidade está uma catástrofe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta terça-feira, 20, que a economia formal mostra sinais de recuperação enquanto a atividade econômica informal segue afetada pelos efeitos da crise sanitária. O presidente destacou que cerca de 40 milhões de trabalhadores informais são uma preocupação para o governo e, por isso, cobrou o fim de medidas restritivas adotadas para diminuir a disseminação do novo coronavírus, que já matou mais de 375 mil brasileiros.

“Os números da economia formal estão demonstrando que o Brasil está se recuperando. No tocante à informalidade está uma catástrofe, 40 milhões de pessoas que perderam tudo ou quase tudo na vida”, disse durante encontro com líderes evangélicos de Anápolis (GO) no Planalto. “Esse pessoal é uma grande preocupação da nossa parte porque teria que reabrir rapidamente as atividades”, disse.

Em sua fala, que teve trechos divulgados por participantes do encontro, o presidente se diz preparado para um cenário de “caos social”. “Pode acontecer de uma hora para a outra. Pode começar a aparecer saques a supermercado, e problemas mais variados possíveis no Brasil”, citou.

“Já estou preparado como agir dessa maneira, eu posso até adiantar para vocês: eu baixaria um decreto que seria cumprido. Seria cumprido. Porque não tem ninguém para falar que não vai cumprir, é inconstitucional porque vou passar o trator por cima para a gente fazer cumprir o artigo 5º da Constituição”, declarou. O artigo em questão trata da “inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade”.

Contrário às medidas de fechamento para frear a pandemia, Bolsonaro disse ” todo mundo está perdendo” com a política de lockdown, que é, no entanto, recomendada pela Organização Mundial da Saúde para diminuir o contágio pelo vírus. “A gente pede a Deus que apareça bom senso perante a nossa sociedade, especial na classe política, para a gente buscar nossa normalidade”, disse.

“Agora, com toda certeza, todas as medidas que foram tomadas no passado (foram) buscando abalar o governo pela economia para tirar a gente daqui. Não caí, primeiro porque falei só Deus tira a gente daqui e ponto final”, declarou. O presidente também ironizou os mais de 100 pedidos de impeachment contra a sua gestão e justificou que o governo federal fez a sua parte no enfrentamento da crise sanitária.

Para os religiosos, Bolsonaro reforçou que a categoria representa grande parte da sua base de apoio e citou medidas do seu governo. O presidente comentou que o preço da gasolina está alto, mas ponderou que o salário mínimo aumentou. “Muita coisa nós fizemos. Se for comparar o preço da gasolina está caro, está, mas se for pegar o salário mínimo de anos anteriores e dividir pelo preço do combustível se compra muito mais combustível com o salário mínimo em meu governo do que governos anteriores”, argumentou.

Receba conteúdos diariamente por e-mail

Estadão Conteúdo

Estadão Conteúdo

"O Estado de S. Paulo" é o mais antigo dos jornais da cidade de São Paulo ainda em circulação . Em 4 de janeiro de 1875, ainda durante o Império, circulava pela primeira vez "A Província de S. Paulo" - seu nome original.

Você pode se interessar por

Publicidade

Receba notícias pelo Telegram

Leia também

Tire dúvidas sobre investimentos

Últimas atualizações sobre

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão.
Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso.
Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade e, ao continuar navegando neste site, você declara estar ciente dessas condições.