Publicidade
Publicidade
Publicidade

Balança apresenta déficit de US$ -1,31 bilhões em novembro

Data da publicação

Empresa autorizada a distribuir informações financeiras das principais bolsas de valores do mundo. Reconhecida por sua tradição e excelência em captar cotações de ativos não negociados em bolsas, através de seu núcleo de Captação e Monitoração de Mercado. Disponibiliza, também, de forma ágil e rápida, notícias e análises relevantes para o mercado financeiro, produzidas pela Enfoque e seus parceiros.

Destaques

Data da publicação

A balança comercial registrou déficit de US$ -1,31 bilhões em novembro e a corrente de comércio aumentou 37,0%, alcançando US$ 41,90 bilhões, segundo dados do Ministério da Economia. Em Novembro/2021, comparado a igual mês do ano anterior, as exportações cresceram 23,2% e somaram US$ 20,30 bilhões. As importações cresceram 53,1% e totalizaram US$ 21,60 bilhões.

No acumulado Janeiro/Novembro 2021, em comparação a igual período do ano anterior, as exportações cresceram 34,9% e somaram US$ 256,10 bilhões. As importações cresceram 39,7% e totalizaram US$ 198,91 bilhões. Como consequência destes resultados, a balança comercial apresentou superávit de US$ 57,19 bilhões, com crescimento de 20,5%, e a corrente de comércio registrou aumento de 36,9%, atingindo US$ 455,00 bilhões.

Exportações

Em Novembro/2021, o desempenho dos setores foi o seguinte: crescimento de 16,5% em Agropecuária, que somou US$ 3,01 bilhões; crescimento de 14,8% em Indústria Extrativa, que chegou a US$ 4,81 bilhões e, por fim, crescimento de 28,3% em Indústria de Transformação, que alcançou US$ 12,34 bilhões. A combinação destes resultados levou ao aumento do total das exportações.

A expansão das exportações foi puxada, principalmente, pelo crescimento nas vendas dos seguintes produtos: Frutas e nozes não oleaginosas, frescas ou secas (18,7%), Café não torrado ( 3,9%) e Soja (163,1%) na Agropecuária; Minério de ferro e seus concentrados ( 6,7%), Minérios de cobre e seus concentrados ( 14,0%) e Óleos brutos de petróleo ou de minerais betuminosos, crus ( 27,6%) na Indústria Extrativa ; Gorduras e óleos vegetais, ‘soft’, bruto, refinado ou fracionado (1.025,6%), Ferro-gusa, spiegel, ferro-esponja, grânulos e pó de ferro ou aço e ferro-ligas ( 55,0%) e Produtos semi-acabados, lingotes e outras formas primárias de ferro ou aço (217,5%) na Indústria de Transformação.

Por sua vez, ainda que o resultado das exportações tenha sido de crescimento, os seguintes produtos registraram diminuição nas vendas: Animais vivos, não incluído pescados ou crustáceos (-51,8%), Milho não moído, exceto milho doce (-35,6%) e Algodão em bruto (-38,9%) na Agropecuária; Outros minérios e concentrados dos metais de base (-61,6%) na Indústria Extrativa ; Carne bovina fresca, refrigerada ou congelada (-43,0%), Sucos de frutas ou de vegetais (-23,5%) e Motores e máquinas não elétricos, e suas partes (exceto motores de pistão e geradores) (-54,2%) na Indústria de Transformação.

Acumulado no Ano

No acumulado Janeiro/Novembro 2021, em comparação com igual período do ano anterior, os resultados por setores foram os seguintes: crescimento de 20,7% em Agropecuária, que somou US$ 51,35 bilhões; crescimento de 67,6% em Indústria Extrativa, que chegou a US$ 73,63 bilhões e, por fim, crescimento de 26,5% em Indústria de Transformação, que alcançou US$ 129,74 bilhões. A associação destes resultados levou ao aumento do total das exportações.

Esta conjuntura de crescimento nas exportações foi influenciada pelo crescimento das vendas nos seguintes produtos: Café não torrado (15,2%), Soja (31,6%) e Algodão em bruto (10,2%) na Agropecuária; Minério de ferro e seus concentrados (86,8%), Minérios de cobre e seus concentrados (33,7%) e Óleos brutos de petróleo ou de minerais betuminosos, crus (51,1%) na Indústria Extrativa ; Farelos de soja e outros alimentos para animais (excluídos cereais não moídos), farinhas de carnes e outros animais (22,5%), Óleos combustíveis de petróleo ou de minerais betuminosos (exceto óleos brutos) (49,6%) e Produtos semi-acabados, lingotes e outras formas primárias de ferro ou aço (95%) na Indústria de Transformação.

Por sua vez, ainda que o resultado das exportações tenha sido de crescimento, os seguintes produtos tiveram diminuição: Animais vivos, não incluído pescados ou crustáceos (-48,3%), Arroz com casca, paddy ou em bruto (-58,7%) e Milho não moído, exceto milho doce (-29,9%) na Agropecuária; Outros minérios e concentrados dos metais de base (-43,1%) na Indústria Extrativa ; Arroz sem casca ou semi elaborado, polido, glaceado, quebrado, parbolizado ou convertido (-25%), Tubos e perfis ocos, e acessórios para tubos, de ferro ou aço (-17,5%) e Motores e máquinas não elétricos, e suas partes (exceto motores de pistão e geradores) (-41,8%) na Indústria de Transformação.

Importações

Em Novembro/2021, o desempenho das importações por setor de atividade econômica foi o seguinte: crescimento de 61,8% em Agropecuária, que somou US$ 0,53 bilhões; crescimento de 248,3% em Indústria Extrativa, que chegou a US$ 1,74 bilhões e, por fim, crescimento de 43,5% em Indústria de Transformação, que alcançou US$ 18,81 bilhões. A combinação destes resultados motivou ao aumento das importações.

O movimento de crescimento nas importações foi influenciado pela ampliação das compras dos seguintes produtos: Pescado inteiro vivo, morto ou refrigerado (134,9%), Trigo e centeio, não moídos ( 62,7%) e Milho não moído, exceto milho doce ( 433,8%) na Agropecuária; Carvão, mesmo em pó, mas não aglomerado (254,7%), Óleos brutos de petróleo ou de minerais betuminosos, crus (103,2%) e Gás natural, liquefeito ou não (925,1%) na Indústria Extrativa ; Óleos combustíveis de petróleo ou de minerais betuminosos (exceto óleos brutos) (162,9%), Medicamentos e produtos farmacêuticos, exceto veterinários (136,5%) e Adubos ou fertilizantes químicos (exceto fertilizantes brutos) (165,7%) na Indústria de Transformação.

Ainda que o resultado das importações tenha sido de crescimento, os seguintes produtos tiveram diminuição: Arroz com casca, paddy ou em bruto ( -92,6%), Produtos hortícolas, frescos ou refrigerados (-37,2%) e Soja (-21,3%) na Agropecuária; Pedra, areia e cascalho (-35,4%), Minérios de cobre e seus concentrados ( -82,2%) e Minérios de alumínio e seus concentrados (-81,8%) na Indústria Extrativa ; Propano e butano liquefeito (-54,4%), Gorduras e óleos vegetais, ‘soft’, bruto, refinado ou fracionado (-45,2%) e Partes e acessórios dos veículos automotivos ( -7,4%) na Indústria de Transformação.

Acumulado no Ano

No acumulado Janeiro/Novembro 2021, quando comparado com o mesmo período do ano anterior, os resultados por setores foram os seguintes: crescimento de 32,2% em Agropecuária, que somou US$ 4,89 bilhões; expansão de 91,1% em Indústria Extrativa, que chegou a US$ 11,40 bilhões e crescimento de 37% em Indústria de Transformação, que alcançou US$ 179,44 bilhões. A combinação destes resultados levou ao aumento do total das importações.

Esta conjuntura de crescimento nas importações foi influenciada pelo crescimento das compras dos seguintes produtos: Pescado inteiro vivo, morto ou refrigerado (75,5%), Trigo e centeio, não moídos (21,4%) e Milho não moído, exceto milho doce (280,9%) na Agropecuária; Carvão, mesmo em pó, mas não aglomerado (61,2%), Óleos brutos de petróleo ou de minerais betuminosos, crus (50,3%) e Gás natural, liquefeito ou não (273,6%) na Indústria Extrativa ; Óleos combustíveis de petróleo ou de minerais betuminosos (exceto óleos brutos) (79,2%), Medicamentos e produtos farmacêuticos, exceto veterinários (75,9%) e Adubos ou fertilizantes químicos (exceto fertilizantes brutos) (83,7%) na Indústria de Transformação.

Ainda que o resultado das importações tenha sido de crescimento, os seguintes produtos tiveram diminuição: Cevada, não moída (-12,4%), Produtos hortícolas, frescos ou refrigerados (-26,9%) e Frutas e nozes não oleaginosas, frescas ou secas (-3,4%) na Agropecuária; Minérios de alumínio e seus concentrados (-69,9%) na Indústria Extrativa ; Artigos confeccionados, total ou principalmente de matérias têxteis (-46,9%), Instalações e equipamentos de engenharia civil e contrutores, e suas partes (-29,3%) e Plataformas, embarcações e outras estruturas flutuantes (-72,2%) na Indústria de Transformação.

Principais Parceiros Comerciais

Argentina

As exportações para a Argentina, no mês de Novembro/2021, cresceram 17,4% e somaram US$ 1,05

bilhões. As importações aumentaram 110,1% e totalizaram US$ 1,35 bilhões. Logo, a balança comercial com este parceiro comercial apresentou déficit de US$ -0,31 bilhões e a corrente de comércio aumentou 56,3% alcançando US$ 2,40 bilhões.

No período acumulado de Janeiro/Novembro 2021, em relação a igual período do ano anterior, as vendas para a Argentina cresceram 42,6% e atingiram US$ 10,92 bilhões. As importações cresceram 51,3% e chegaram US$ 10,71 bilhões. Com isto, neste período, a balança comercial para este país apresentou saldo positivo de US$ 0,20 bilhões e a corrente de comércio expandiu-se em 46,8% totalizando US$ 21,63 bilhões.

China, Hong Kong e Macau

Publicidade

A cobertura completa para atrair bons investimentos

As exportações para a China, Hong Kong e Macau no mês de Novembro/2021, cresceram 8,8% e somaram US$ 5,03 bilhões. As importações aumentaram 34,6% e totalizaram US$ 4,51 bilhões. Assim, a balança comercial com este parceiro comercial apresentou superávit de US$ 0,52 bilhões e a corrente de comércio aumentou 19,6% alcançando US$ 9,53 bilhões.

No período de Janeiro/Novembro 2021, em relação a igual período do ano anterior, as vendas para China, Hong Kong e Macau cresceram 29,5% e atingiram US$ 84,22 bilhões. As importações cresceram 36,4% e totalizaram US$ 43,47 bilhões. Consequentemente, neste período, a balança comercial apresentou superávit de US$ 40,74 bilhões e a corrente de comércio expandiu-se em 31,8% somando US$ 127,69 bilhões.

Estados Unidos

As exportações para os Estados Unidos, em Novembro/2021, cresceram 50,1% e somaram US$ 2,67 bilhões. As importações aumentaram 84,7% e chegaram a US$ 4,19 bilhões. Assim, a balança comercial com este parceiro comercial resultou num déficit de US$ -1,52 bilhões e a corrente de comércio registrou aumento de 69,5% alcançando US$ 6,86 bilhões.

No acumulado de Janeiro/Novembro 2021, em relação ao mesmo período do ano anterior, as exportações para os Estados Unidos cresceram 47,2% e atingiram US$ 27,84 bilhões. As importações cresceram 37,7% e totalizaram US$ 35,02 bilhões. Dessa forma, neste período, a balança comercial para este país apresentou déficit de US$ -7,18 bilhões e a corrente de comércio aumentou 41,8% chegando a US$ 62,86 bilhões.

União Europeia

As vendas para a União Europeia, cresceram 19,8% e chegaram US$ 2,62 bilhões. As importações aumentaram 40,4% e totalizaram US$ 3,64 bilhões. Assim, a balança comercial com este bloco resultou num déficit de US$ -1,01 bilhões e a corrente de comércio aumentou 31,0% alcançando US$ 6,26 bilhões.

No período acumulado de Janeiro/Novembro 2021, em relação a igual período do ano anterior, as exportações para a União Europeia cresceram 30,9% e atingiram US$ 33,55 bilhões. As importações cresceram 28,6% e totalizaram US$ 35,26 bilhões. Consequentemente, neste período, a balança comercial com este bloco comercial apresentou déficit de US$ -1,71 bilhões e a corrente de comércio aumentou 29,7% somando US$ 68,81 bilhões.


PARE DE SE CADASTRAR EM CADA CANTO

A transparência para as suas decisões de investimentos.

Encontre relatórios de instituições concorrentes, compare entre as sugestões e deixe de ter que se cadastrar em cada canto da internet para receber suas notificações preferidas.

Conheça o Clube Acionista, a plataforma que reúne recomendações de mais de 60 especialistas de mercado em um só lugar. A facilidade de não precisar sair procurando por boa informação em diferentes canais.

O CADASTRO É TOTALMENTE GRATUITO. APROVEITE!

Autor

Empresa autorizada a distribuir informações financeiras das principais bolsas de valores do mundo. Reconhecida por sua tradição e excelência em captar cotações de ativos não negociados em bolsas, através de seu núcleo de Captação e Monitoração de Mercado. Disponibiliza, também, de forma ágil e rápida, notícias e análises relevantes para o mercado financeiro, produzidas pela Enfoque e seus parceiros.

Receba informações do mercado financeiro no seu celular gratuitamente

Compartilhe esse post nas suas redes!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

Você pode se interessar por

Publicidade

Leia também

Publicidade

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão. Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso. Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Publicidade

Telegram Acionista

Os principais destaques do mercado! A melhor cobertura.

Esse site usa cookies para personalizar o conteúdo, propagandas e acompanhar o tráfego de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade.