Assinado acordo para viabilizar recursos ‘verdes’ ao Mais Luz para a Amazônia

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tweet
Compartilhar no linkedin
Publique
Compartilhar no whatsapp
Encaminhe
Compartilhar no email
Envie

Newsletter

Tire dúvidas sobre investimentos

Receba notícias pelo Telegram

O Ministério de Minas e Energia e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) assinaram nesta terça-feira, 15, um acordo de cooperação técnica que visa elaborar soluções financeiras que reduzam o custo dos investimentos necessários para implantação do programa Mais Luz para a Amazônia.

Uma das formas de efetivar essa redução é qualificar o projeto como beneficiário dos recursos do Green Climate Fund (GCF), apontou o MME. “A aprovação de projetos no GCF gera, por exemplo, um ‘selo verde’ de entidade internacionalmente reconhecida, agregando valor à imagem das empresas envolvidas”, disse a pasta.

Lançado em fevereiro, o Mais Luz para a Amazônia visa estimular a instalação de painéis solares e baterias nas regiões isoladas da Amazônia, hoje atendidas por geradores a diesel. O atendimento de famílias de baixa renda e inscritas em programas sociais será prioritário, assim como para os que residem em unidades de conservação. Os investimentos estimados estão em mais de R$ 3 bilhões.

“Dado o significativo impacto social e econômico e também de preservação ambiental, que são pilares do Programa, aliado à expertise do BNDES, tenho certeza que a celebração deste acordo permitirá um trabalho em conjunto que qualificará o Programa para obtenção de recursos de fundos internacionais”, afirmou ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, durante a cerimônia.

De acordo com o ministério, o financiamento tem duas vertentes. Um deles é direcionado às distribuidoras de energia para a instalação de infraestrutura necessária para implementar o programa. O outro tem foco nas comunidades locais, visando à assistência técnica para preparação e implementação de projetos de atividades produtivas sustentáveis na localidade beneficiária.

As linhas de financiamento, à princípio, terão prazo de 20 anos, com cinco anos de carência para início da amortização.

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão.
Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso.
Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Leia também

Fique por dentro

Se inscreva para ser notificado quando um novo post for publicado.

Além de diversos conteúdos do mercado financeiro em um lugar para você ler, comparar e decidir.