As 3 pagadoras de dividendos mais recomendadas para abril

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Pagadoras de dividendos

Após mês com alta de 7,57% no IDIV, os analistas atualizaram suas carteiras mensais de dividendos. Desse modo, confira as melhores alternativas para proventos em abril de acordo com as principais equipes de análise do país.

Confira as top 3 pagadoras de dividendos

Vale (VALE3)

Fundada em 1942, hoje a Vale é uma empresa privada que se configura entre as maiores mineradoras globais, sendo a maior produtora de minério de ferro, pelotas e níquel.

Na visão dos analistas, os principais drivers para valorização da companhia, além de crescimento nos dividendos pagos são:

• Forte valorização do minério de ferro (Qingdao fechou 2020 com 74% de alta – atualmente cotado em U$S 165,15);

• Projeto Serra Sul 120, um investimento de USD 1.5 bi com startup para 2024 que deverá adicionar 20 mm toneladas de minério de ferro de alta qualidade e menor custo operacional;

• Retomada da operação Samarco, que contará com novos processos de disposição de rejeitos.

A Vale retornou em fevereiro para as nossas Principais Dividendos e, como o foco ao investir em empresas pagadoras de proventos deve ser o longo prazo, não faz sentido analisar o desempenho da mesma em somente dois meses de participação.

ISA CTEEP (TRPL4)

A Transmissão Paulista continua apresentando fortes resultados mesmo diante de uma atividade econômica local enfraquecida, com margem EBITDA acima de 60%. Olhando para frente, a empresa apresenta boas perspectivas de longo prazo, principalmente após os cinco lotes arrematados no último leilão de 2017 e dois lotes no leilão de 2019. Tais lotes devem proporcionar sinergias com operações existentes, principalmente, em São Paulo e Paraná.

Vale ressaltar também o baixo risco regulatório da empresa, que possui contratos longos. A empresa historicamente reporta geração de caixa constante e robusta, com margens bastante elevadas. Adicionalmente, a empresa conta com uma situação financeira saudável, além do alto rendimento de proventos que a empresa apresenta deixa nos confortável com o caso de investimento.

Desde que a ISA CTEEP passou a fazer parte das Principais Dividendos, em abril de 2020, a empresa teve uma valorização de 45,07%. Além disso, também pagou 18,30% de proventos com base na cotação de entrada nas principais (R$ 17,53). Em comparação, o Ibovespa nesse mesmo período valorizou 65,74% e o IDIV valorizou 44,12%.

Percebemos que a empresa teve um desempenho um pouco abaixo do Ibovespa e em linha com o IDIV, o que é normal quando analisamos o desempenho das companhias do setor elétrico no último ano, que acabaram ficando atrasadas na recuperação depois das grandes quedas. Entretanto, quando colocamos os proventos recebidos desde então, o retorno supera bastante a performance do IDIV no período.

TAESA (TAEE11)

A TAESA é um dos maiores grupos privados de transmissão de energia elétrica do Brasil em termos de Receita Anual Permitida (RAP), dedicando-se exclusivamente à construção, operação e manutenção de ativos de transmissão. Atualmente, a companhia possui presença em todas as 5 regiões do país com 36 concessões e 12.725 km de linhas de transmissão.

Olhando um pouco para o histórico de execução da TAESA, ao longo dos últimos anos se percebe ela conseguiu manter uma estabilidade positiva em sua receita líquida – o que demonstra a resiliência de seu modelo operacional e do setor de transmissão de energia, mesmo em momentos mais difíceis da economia – ao passo que conseguiu elevar sua margem líquida de 48% para 81%, com uma margem EBITDA estável próxima a 80% (maior EBITDA do setor de transmissão). A companhia possui uma disciplina financeira muito forte, com um rígido controle de custos, a mais alta nota de crédito nas três agências de classificação de risco (Fitch, Standard & Poor´s e Moody´s) e uma alta diligência no processo de alocação de capital, buscando sempre bons projetos com alta rentabilidade.

Assim, os analistas percebem na TAESA uma eficiência operacional muito forte, que garantiu à companhia uma sólida geração de caixa ao longo dos anos, permitindo que a empresa conseguisse distribuir uma boa parcela de seus lucros para os acionistas. A companhia possui um payout (percentual do lucro líquido distribuído em forma de provento) de cerca de 90%, o que sustenta o forte rendimento dos dividendos (e outros proventos) distribuídos aos acionistas.

Dito isso, os especialistas acreditam que a TAESA continuará com um nível forte de eficiência operacional, entregando bons resultados nos trimestres à frente e, consequentemente, remunerando muito bem seus acionistas através da distribuição de proventos, o que abre espaço para uma forte expectativa do rendimento dos dividendos (dividend yield) de 13,5% para 2021.

A TAESA voltou a fazer parte das Principais Dividendos do Mês apenas em janeiro desse ano e, dessa forma, também não faz sentido analisar o desempenho em um horizonte de tempo de apenas 3 meses.

Com uma combinação de ótima geração de caixa e proventos robustos, a TAESA foi recomendada nas nossas Principais Ações em todos os meses do ano até aqui. Desse modo, optamos por adicionar a empresa nas nossas Super Ações, um portfólio de companhias de diversas categorias que se destacam como as preferidas dos analistas.

Não deixe de conferir a carteira completa das Super Ações.

Fontes: BTG Pactual, Guide Investimentos e Necton.

CONFIRA AS PRINCIPAIS DIVIDENDOS DO MÊS

Acionista

Acionista

O portal Acionista.com.br aproxima investidores, informações e investimentos com conteúdos atualizados diariamente sobre o mercado financeiro e as companhias abertas nos diferentes meios digitais – website e redes sociais.

Você pode se interessar por

Publicidade

Leia também

Tire dúvidas sobre investimentos

Últimas atualizações sobre

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão.
Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso.
Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade e, ao continuar navegando neste site, você declara estar ciente dessas condições.