Após pressão, Senado adia votação do PL que limita juros do cheque especial

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tweet
Compartilhar no linkedin
Publique
Compartilhar no whatsapp
Encaminhe
Compartilhar no email
Envie

Newsletter

Tire dúvidas sobre investimentos

Receba notícias pelo Telegram

Após forte pressão de bancos, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), decidiu adiar votação do projeto que limita a cobrança de juros do cheque especial e no cartão de crédito em 20% ao ano durante a pandemia do novo coronavírus. No período da manhã desta quinta-feira, 14, Alcolumbre e alguns senadores participaram de reunião, por teleconferência, com representantes de instituições financeiras.

Segundo o relator da matéria, senador Lasier Martins (Podemos-RS), não há previsão de quando a matéria será analisada. “Eles banqueiros vêm nos pressionando desde anteontem fortemente. Querem reunião aqui, ali. A pressão foi tremenda, mas me neguei a participar de todas as reuniões e passei a não atender”, disse ao Broadcast Político, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado.

O projeto de lei apresentado pelo senador Alvaro Dias, líder do Podemos no Senado, limita a taxa de juros do cheque especial e no cartão de crédito em 20% ao ano. Mais cedo, o parlamentar chegou a afirmar ao Broadcast que o texto deveria ser aprovado, mas com algumas alterações importantes. Entre elas, a ampliação do teto proposto para 31% ao ano.

Segundo apurou o Broadcast, Alcolumbre consultou o líder antes de anunciar o cancelamento da sessão desta quinta-feira. Mas, Alvaro Dias não concordou. Logo em seguida, ele comunicou que visitaria a mãe no hospital, sem muitas explicações

Atualmente, já existe uma limitação para as taxas cobradas no cheque especial, muito acima da que foi proposta pelo senador. Desde janeiro, os bancos não podem cobrar juro superior a 8% ao mês na modalidade de crédito, o equivalente a 151,8% ao ano.

De acordo com dados do Banco Central, o juro médio do cheque especial estava em 130% ao ano para pessoas físicas em março. No caso do cartão de crédito, a taxa média do rotativo regular – que inclui operação em que o cliente paga pelo menos a fatura mínima – estava em 296,1% ao ano.

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão.
Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso.
Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Leia também

Leia também

Conheça o Painel Acionista: em um só lugar tudo o que você precisa saber sobre investimentos