Após golpes com bitcoins gerar prejuízo de R$ 300 milhões, especialista explica 14 formas de se prevenir

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tweet
Compartilhar no linkedin
Publique
Compartilhar no whatsapp
Encaminhe
Compartilhar no email
Envie

Newsletter

Tire dúvidas sobre investimentos

Receba notícias pelo Telegram

“Especialista explica 14 questões que todos devem avaliar antes de investir em empresas que prometem lucros altíssimos e o que fazer caso isso aconteça”

Acusada de aplicar golpes envolvendo bitcoins, a empresa BWA Brasil, gerou um prejuízo de aproximadamente R$ 300 milhões após fechar suas portas e não ressarcir seus investidores. No pedido de recuperação judicial, a empresa elaborou uma relação com 1.897 credores que perderam dinheiro após o investimento. As pessoas físicas com prejuízos maiores foram 2 moradores de Santos, litoral de São Paulo, que aplicaram R$ 5 milhões e R$ 2,5 milhões. Dessa forma, Fabrizio Gueratto, Financista do Canal 1Bilhão Educação Financeira, explica que muitas vezes a estratégia de marketing é agressiva, onde são vendidos investimentos com rentabilidade altíssima, prometendo mudar a vida do cliente. Portanto, quando o golpe financeiro fica claro, muitas pessoas são lesadas

Com isso, Gueratto 14 questões que todos devem avaliar antes de investir em empresas que prometem lucros altíssimos e o que fazer caso isso aconteça:

1) Viés de Confirmação: o viés de confirmação é quando uma pessoa quer acreditar tanto em uma coisa que ela apenas busca informações que irão confirmar aquilo que ela deseja e foge ou não vai atrás de fatos que contestam aquilo.

2) Warren Buffett: considerado o maior investidor do mundo de renda variável, hoje ele é o 3º homem mais rico do planeta. Nos últimos 43 anos, a sua média anual de rentabilidade foi mais ou menos 31%. Em seu ano mais lucrativo, durante toda a vida, os seus investimentos tiveram uma valorização anual de 59%. Partindo de Warren Buffett como referência em todo o mundo dos investimentos, é necessário pensar se o que está sendo oferecido realmente faz sentido ou não.

3) Imprensa: quando vamos fazer um investimento, ou nos tornarmos sócios de uma empresa, principalmente se ela não está listada na bolsa de valores, além de precisarmos ter acesso aos balanços contábeis é preciso analisar o track record dos sócios, ou seja, o seu histórico. Buscar matérias jornalísticas ou sobre pessoas que estão na direção daquela empresa. A imprensa busca publicar pautas de pessoas que venceram na vida. É estranho que uma empresa que obtenha altos lucros rapidamente, mas nenhum jornal tenha falado bem dela. Como diria um grande amigo: “Não me fale de milhões, se não tem tostões”.

4) Big Four: esta dica talvez seja a mais importante. As grandes empresas são auditadas pelo o que chamamos de BigFour. Exija que a empresa em que se está investindo tenha o seu balanço auditado por uma destas empresas: Ernest Young, PWC, Deloitte ou KPMG. Esta é a maior segurança hoje disponível no mercado, mesmo não sendo infalível.

5) Seguro: agora melhoraram o golpe e inventaram pirâmide financeira com seguro. Olha que genial. A empresa seguradora precisa possuir um grande capital financeiro para ressarcir um enorme prejuízo. Portanto, não adianta ter um seguro de uma empresa que as pessoas nunca ouviram falar e que não esteja registrada na Superintendência de Seguros Privados (SUSEP). Exija que a empresa seja assegurada pelas maiores como: Zurich, ING e Allianz. Algo que jamais irá acontecer.

6) Altas rentabilidades: multiplicar o capital por 2 vezes em apenas 12 meses não parece ser algo razoável em nenhuma parte do mundo. Portanto, é importante que o investidor esqueça o viésdeconfirmação e tenha o bom senso de verificar se isso faz sentido ou não. Só existe o estelionatário, porque tem o ganancioso.

8) Diversificação: é necessário ter uma carteiradiversificada, com investimentos de renda fixa e variável, para que seja possível atingir grandes rentabilidades no mês. Mas não se engane achando que será algo em torno de 30%. Isto muito dificilmente acontece em apenas 30 dias. 

9) Investimento no CPF: Qualquer investimento em renda fixa ou variável fica vinculado ao CPF de quem fez a transferência. Será que não é estranho transferir o dinheiro para uma pessoa-física ou empresa que muitas vezes é denominada como ME?

10) Risco é proporcional ao retorno: o risco é sempre proporcional ao retorno, ou seja, quanto mais chances de um investidor ter grandes rentabilidades, mais risco ele estará correndo com seu capital. A matemática é sempre essa. Por isso, a renda fixa rende pouco, por exemplo, pois o risco é baixíssimo. Como algo pode dar 5% ao mês e dizer que é sem risco, enquanto a taxa Selic está próxima de 2% ao ano?

11) Garantia: tenha certeza que a empresa que você está investindo tenha capacidade de arcar caso algo aconteça, ou seja, se quebrar, ela terá como ressarcir seus clientes em curto espaço de tempo. Porém, as seguradoras não costumam fazer seguros de negócios de alto risco, pois não compensa. Resumindo, uma pirâmide financeira jamais irá oferecer qualquer garantia real.

12) Mercado Forex: o mercado é de altíssimo risco e proibido no Brasil. Por isso, é necessário ter experiência antes de começar a investir neste segmento. É necessário entender que a maioria dos traders perde mais dinheiro do que ganha. Isso vale também para investidores de bolsa que compram e vendem ações todos os dias. Será mesmo que existe algum gênio que descobriu uma fórmula mágica de vencer o mercado financeiro todos os dias?

13) Grande investidor: será que os grandes investidores do Brasil e do mundo não querem ganhar ainda mais e multiplicarem suas fortunas? Não é estranho que estas empresas atraiam em sua grande maioria apenas pessoas com pouco dinheiro? Por que grandes bilionários não utilizam dos mesmos métodos que esta suposta empresa de investimentos para multiplicarem suas fortunas?

14) Empréstimo no Banco: se esta suposta empresa de investimento oferece rentabilidade de 5% ao mês, não é mais fácil ela pegar dinheiro emprestado no banco? Talvez ela queira ajudar os mais pobres e nos ajudar a ficar ricos. Talvez. Só existe o estelionatário porque na outra ponta tem o ganancioso.

7) Analise o passado: diversas empresas que pareciam muito lucrativas e fizeram com que algumas pessoas realmente ganhassem dinheiro. Porém, depois de alguns meses ou até mesmo anos a pirâmide não se sustentou. As pessoas precisam buscar no Google sobre: Telexfree, Boi Gordo, Bbom e Inside Administradora e Participações S.A. Esta última, funcionava prometendo altos lucros até que a CVM determinou a suspensão das atividades e milhares de pessoas perderam seu patrimônio. Só pode distribuir valores mobiliários entidades autorizadas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Fabrizio Gueratto também esclarece que, se você caiu em uma delas, é difícil de reaver o dinheiro.  “Afinal, os lucros vêm justamente da entrada de pessoas novas, então quanto mais ‘baixo’ na pirâmide você está, pior. Assim que o sistema quebra de vez, os donos, aqueles que estão no topo da pirâmide financeira, provavelmente já anteciparam a quebra e será bem trabalhoso pegá-los”, explica. O Financista sinaliza que a primeira coisa a se fazer é denunciar o Ministério Público, podendo ser feitas de forma anônima e diariamente no site do próprio órgão. O GAECO (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado), atua através do ministério público para investigar e derrubando esquemas desse tipo.  

Dentre as diversas acusações estão as de estelionato, que além de ser um crime contra a ordem econômica, os organizadores da pirâmide financeira devem ser indiciados por obter, para si ou para outro, vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo alguém em erro. Já em conjunto com o estelionato, as pirâmides financeiras se enquadram na formação de quadrilha. Que associarem-se 3 ou mais pessoas, para o fim específico de cometer crimes. Esse é mais um motivo pelo qual se deve denunciar diretamente ao ministério público, pois assim, os membros do “negócio” podem ser acusados de fazer parte de uma organização criminosa. Na esfera civil, deve-se entrar com uma ação de reparação de danos e também uma ação de danos morais por ter sido enganado neste caso é válida também.  

Sobre 1Bilhão Educação Financeira
O Canal 1Bilhão Educação Financeira leva educação financeira em uma linguagem simples, resumida e disruptiva, para que o investidor aprenda a acumular riquezas, preservar o poder de compra e aumentar a sua rentabilidade com investimentos com alta expectativa de retorno. Fundado pelo jornalista, escritor e palestrante Fabrizio Gueratto, eleito em 2018 com um dos mil paulistanos mais influentes e que atua a mais de 12 anos no mercado informações financeiras. O canal tem como o slogan “investimento não é cassino” e foca em desconstruir na cabeça do brasileiro a ideia de que é preciso acertar sempre o investimento da moda. O planejamento patrimonial de qualquer pessoa, independente da sua classe social deve começar ainda na infância e continuar até o final da vida. Além disso, o conteúdo também revela as pegadinhas que existem dentro do mercado financeiro e como desviar delas.

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão.
Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso.
Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Leia também