Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tweet
Compartilhar no linkedin
Publique
Compartilhar no whatsapp
Encaminhe
Compartilhar no email
Envie

Newsletter

Receba notícias por Whatsapp

Receba notícias pelo Telegram

Para começar a investir, antes, é preciso ter algum dinheiro.

E para muitos a dificuldade em fazer sobrar algum dinheiro no final do mês está mais relacionada à falta de conhecimento financeiro, organização e hábito de poupar do que realmente à uma dificuldade de viver com o que ganham.

Para tentar ajudar a todos que querem cuidar melhor de seu dinheiro, começo hoje esta coluna sobre finanças pessoais.

Só que eu comecei esse texto já pressupondo que todo mundo quer, ou pelo menos tem noção de que é uma boa ideia, guardar dinheiro e investir.

Mas, imagino que muita gente já deva ter ouvido em tudo que é lugar que é preciso começar a investir, mas não sabe direito o porquê ou nunca parou para pensar sobre isso.

Por que guardar dinheiro? Porque não gastar tudo o que você tem agora e obter uma boa felicidade imediata, se no mês que vem seu salário cai de novo na conta?

Eu não gostaria de trabalhar para sempre. E você?

Ok, talvez eu não saberia o que fazer com tanto tempo livre e prefira nunca parar de trabalhar. Não sei, vou deixar o Samuel do futuro decidir.

Mas eu, com certeza, gostaria de daqui alguns anos ter pelo menos a opção de parar ou de pelo menos de trabalhar menos.

E, a não ser que ocorra uma revolução no sistema econômico brasileiro até lá, para poder parar de trabalhar vou precisar ter de onde tirar dinheiro.

“Ah, mas e a Previdência?”

Sim, existe a Previdência Social e, se você for CLT, é por isso que todo mês descontam uma parte do seu salário, que vai para o INSS.

Porém, por maior que seja o seu salário hoje e até o dia que você se aposentar, o INSS te pagará no máximo R$ 6.101,06 por mês.

Se você estiver satisfeito em ganhar no máximo isso do dia que você se aposentar até o último dia de sua vida, então pode parar aqui de ler esse relatório (na verdade não, recomendo que continue lendo *risos*).

Nem a Previdência é uma certeza. No ano passado o governo aprovou uma reforma da Previdência aumentando os requerimentos para a aposentadoria, como fixação de idade e tempo de contribuição mínimos.

Com a situação das contas públicas do país, os economistas dizem que será necessária uma nova reforma daqui uns anos. Então, sabe-se lá quantos anos mais vamos ter que trabalhar para receber esse dinheiro do INSS.

Assim, minha sugestão é que você passe (se já não o faz) a guardar algum dinheiro todo mês, sempre que possível, ou, se já guarda, avalie se seria possível economizar mais.

Claro, sem sacrifícios. A ideia de guardar dinheiro é poder ter uma vida melhor no futuro, mas se para isso você tiver que postergar todos os prazeres e viver na infelicidade, talvez seja melhor você avaliar se não pode relaxar um pouco nas economias.

Vamos gastar um pouco, ninguém é de ferro

Além de guardar para a aposentadoria, juntar dinheiro também serve para você conseguir aproveitar melhor a vida conseguindo pagar por aquele item ou serviço que custa mais do que sobra do seu salário todo mês.

Pode ser uma viagem, carro, apartamento, dar aquele presente mais caro para a pessoa que você gosta.

Se você organizar suas contas pessoais, entender realisticamente quanto consegue economizar e qual será o impacto nas suas reservas para a aposentadoria, e definir um valor para guardar todo mês, você saberá em quanto tempo será possível atingir seu objetivo.

Com esses dados em mãos, você poderá até avaliar se vale a pena financiar esse gasto, seja por meio do cartão de crédito ou de um financiamento propriamente dito.

Dessa maneira, você poderá ter maior controle quanto a quando atingirá seus objetivos e não “quando der” (quando, ao acaso, tiver dinheiro suficiente na sua conta).

Consegui guardar dinheiro. E agora?

Conseguir gastar menos do que você ganha já te coloca no grupo de apenas 33% dos brasileiros que conseguem poupar algum dinheiro.

Porém, dá para melhorar.

Na verdade, é preciso.

Isso por causa de uma coisa chamada inflação, que é o aumento dos preços dos produtos e serviços.

Por causa da inflação, se você deixar o dinheiro debaixo do colchão ou naquele pote na cozinha, daqui a um ano você conseguirá comprar menos coisas com o dinheiro que tinha hoje.

Hoje, a inflação para os próximos anos (desconsiderando 2020) está na casa dos 3,5% ao ano. Assim, quando se olha de um ano para o outro nem parece fazer muita diferença. Porém, quando os anos se acumulam a diferença passa a ser bastante significativa.

Digamos que hoje com R$ 100 você consiga comprar 20 long necks daquela cerveja que você gosta (infelizmente, tem lugar que nem 20 dá para comprar com esse dinheiro) e que a inflação anual fique em 3,5%.

Daqui 10 anos, com esses mesmos R$ 100 você só conseguiria comprar 14 cervejas.

Não sei você, mas eu não quero ter que tomar menos cerveja no futuro.

Caso você não goste de cerveja, substitua por um item de sua escolha. O importante é captar o que eu estou querendo dizer.

O ponto é: acho que todo mundo preferiria ter a escolha de consumir mais do que ser obrigado, por falta de dinheiro, a consumir menos.

Então, por isso, além de eu guardar um percentual do meu salário todo mês, também é importante aplicar esse dinheiro.

Eu e os outros analistas da Capital Research vamos falar mais sobre onde aplicar, mas um ótimo começo é a Carteira Capital.

Com isso, a expectativa é que você não só evite que seu dinheiro seja corroído pela inflação, mas também que obtenha um retorno adicional acima da inflação (o chamado ganho real).

Quanto maior for o ganho real de seus investimentos, mais cedo você poderá se aposentar.

Ou seu padrão de vida na aposentadoria poderá ser melhor.

Ou você poderá ter um padrão de vida melhor antes mesmo da aposentadoria.

Ou uma mistura dos três.

Mas isso é tema para um próximo relatório…

Espero que tenha te convencido dos benefícios de poupar e investir!

Samuel Torres, CFA

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Publicidade

Leia também

Destaques da bolsa ativos durante o pregão - das 10h as 17h - Fonte: Google Finance - delay aprox. de 20 min.

*Dados inativos fora do horário do pregão.

Nossa missão é ajudar você a investir melhor com uma variedade de conteúdos, de diversas fontes. Acreditamos que quanto mais você se informa, melhor você decide!