Publicidade
Publicidade
Publicidade

Adeus Poupança – 3 investimentos seguros e que rendem mais!

Data da publicação

Categoria

Juliana Barbosa é Economista e Educadora Financeira. Especialista em Finanças Empresariais, Gestão Bancária e Gestão Empresarial. Membro da ABEFIN – Associação Brasileira de Educadores Financeiros. Sócia-Diretora da Cifrão Educação Financeira. Franqueada Dsop de Educação Financeira.Instagram |Podcast

Categoria

Data da publicação

Quando pensamos em investir o que logo vem à nossa mente? Sim! A resposta é Poupança.

 Em um estudo recente, calcula-se que 88% dos brasileiros guardam dinheiro na poupança.  O Raio X do Investidor Brasileiro, pesquisa realizada pela Anbima em parceria com o Datafolha na sua quarta edição, revelou que 40% dos brasileiros têm algum tipo de investimento e que 29% desses investidores colocam dinheiro na poupança.

 A poupança continua sendo o investimento preferido da população. Contudo, o número de investimentos na caderneta vem perdendo espaço pela primeira vez em quatro anos. A poupança perdeu R$ 35,5 bilhões em 2021, a maior retirada de recursos desde 2016, segundo dados do Banco Central do Brasil.

Publicidade

Mas não se deixe iludir. A poupança não é uma alternativa rentável quando comparada a outros investimentos. Quem investiu na poupança nos últimos anos perdeu dinheiro. Isso porque a inflação do período foi maior do que o rendimento da poupança.

Aplicar na caderneta de poupança é basicamente emprestar dinheiro ao banco. O banco, por sua vez, paga ao cliente um juro fixo, que é tabelado pelo governo. Atualmente, a rentabilidade da poupança está atrelada à taxa de juros oficial do país, a Selic.

Se a Taxa Selic estiver acima de 8,5% ao ano (atualmente a taxa está em 10,75%aa), a taxa da poupança será 0,5% ao mês mais variação da TR (Taxa Referencial).

Alguns fatores têm levado os brasileiros a buscarem outras opções de investimentos:

  • Maior conhecimento de outros produtos financeiros

Cresceu o conhecimento do brasileiro em relação aos principais produtos financeiros disponíveis no mercado. A internet tem potencializado a propagação de informação, tanto pelos influenciadores digitais como por conteúdos disponibilizados por bancos e corretoras em seus sites. Além das conversas presenciais com o gerente ou o assessor de investimentos.

  • Outras opções de canais para investir

Os meios digitais ganharam espaço na hora de fazer investimento. Ainda de acordo com a pesquisa Raio X do Investidor Brasileiro, em 2020, pela primeira vez, o aplicativo do banco foi a solução mais utilizada, ultrapassando a ida presencial à instituição. O uso do aplicativo mais do que dobrou em 2020, passando de 30% para 62% da preferência como meio para uma aplicação financeira. A visita presencial à agência caiu de 71% em 2019 para 55% um ano depois. Todas as outras formas de investimento a distância também apresentaram crescimento significativo, como site do banco ou corretora e por telefone.

Quais são esses investimentos?

A seguir, vou apresentar 3 investimentos melhores que a Poupança. Na prática, você vai perceber que essas formas de investir podem valorizar mais seu dinheiro no longo prazo, potencializando seus resultados. Confira:

CDB

Certificado de Depósito Bancário (CDB) é um investimento de renda fixa no qual você aplica seu dinheiro em uma instituição financeira e em troca recebe o valor que investiu acrescido da rentabilidade prevista no CDB. Têm opções prefixadas, na qual sua rentabilidade é determinada por uma taxa de juros, ou pós-fixada, na qual o seu rendimento é atrelado a um indicador, como o CDI.

Publicidade

O CDB possui rentabilidade maior que a poupança. Tem a cobertura do Fundo Garantidor de Crédito (FGC) para valores até o limite de R$ 250 mil por CPF ou CNPJ e possui liquidez diária, ou seja, pode ser resgatado a qualquer momento.

Existem corretoras ofertando CDB com taxa de até 220% do CDI. Uma excelente remuneração, mas que demanda cuidado. O importante é conhecer a reputação da instituição e as características do produto ofertado.

TESOURO SELIC

Em 2002, o Tesouro Nacional criou um programa em parceria com a Bolsa de Valores do Brasil (B3), chamado Tesouro Direto. Esse programa visou democratizar o acesso aos títulos públicos para pessoas físicas. Além de permitir aplicações a partir de R$30, esses títulos oferecem uma boa rentabilidade e podem apresentar liquidez diária.

O Tesouro Selic é o mais conhecido dos títulos do Tesouro. O investidor não saberá exatamente quanto seu título irá render, pois o resultado depende da Taxa Selic. Hoje a taxa Selic está em 10,75%aa.

Esse título é considerado o mais seguro do mercado, já que possui a responsabilidade do pagamento pelo próprio governo federal, o que faz dele o ativo com menos risco de crédito da economia.

LCI

As Letras de Crédito Imobiliário (LCI) são títulos de renda fixa emitidos por instituições financeiras com o objetivo de captar recursos destinados a empréstimos para o setor imobiliário. Em troca, você receberá, em uma data predefinida, seu dinheiro corrigido por juros.

Os principais atrativos desse ativo são a Isenção de IR para pessoa física no rendimento e no ganho de capital. A aplicação garantida pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC) para valores até o limite de R$ 250 mil por CPF ou CNPJ.

Os três investimentos listados aqui são seguros, possuem liquidez e tem rentabilidade acima da poupança. Podem ser encontrados em bancos tradicionais, bancos digitais e em corretoras de valores.

Até Breve!

Autor

Juliana Barbosa é Economista e Educadora Financeira. Especialista em Finanças Empresariais, Gestão Bancária e Gestão Empresarial. Membro da ABEFIN – Associação Brasileira de Educadores Financeiros. Sócia-Diretora da Cifrão Educação Financeira. Franqueada Dsop de Educação Financeira.Instagram |Podcast

Receba informações do mercado financeiro no seu celular gratuitamente

Compartilhe esse post nas suas redes!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

Você pode se interessar por

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão. Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso. Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Publicidade
Publicidade

Já conhece o meu curso?

Telegram Acionista

Os principais destaques do mercado! A melhor cobertura.

Esse site usa cookies para personalizar o conteúdo, propagandas e acompanhar o tráfego de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade.